Siga o Blog por E-Mail.

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

Minha experiência como professor do ensino fundamental.



Não, nunca fui professor do ensino fundamental, mas sou casado há 13 anos com uma professora linda e muito competente (Áurea). Em nossa jornada ouvi muitas histórias e participei de algumas atividades, na escola ou com amig@s professoras/es. Agora essa competente professora tem uma decisão difícil para tomar, assumir a vaga de professora conquistada em concurso público no Centro de Educação da Universidade Federal da Paraíba, Centro que este ano completou 40 anos, eu tinha 02 anos de idade e a professora que amo ainda nem sonhava em nascer.

Sabe aquelas provas que lemos nas redes sociais e as vezes demoramos para acreditar que elas são de verdade, pois é, são de verdade e já dei muitas risadas com as respostas que Áurea lia sem identificar @ estudante. Uma das respostas foi relacionada diretamente a criatividade para passar o conteúdo prático de atletismo, em uma rede de ensino sem as condições materiais para isso, a bola e o dardo para arremesso são apenas alguns dos muitos improvisos na educação básica. Na prova a pergunta era para citar tipos de arremessos existentes, a resposta: “arremesso de cabo de vassoura e de sacola plástica com papel”, eu não pensaria duas vezes, daria 10 (rsrsrsrs).

O carinho que ela recebe das crianças é outro aspecto muito especial dessa vida de professora, carinho que ela conquista com seu sorriso, acolhimento, conversa ou com uma “chamada” dura para ensinar não só o conteúdo de educação física, mas sobre a vida.

Claro, na escola também existem as durezas da vida, os casos de violência doméstica, as dificuldades materiais e/ou a violência presente na rua, elementos duros que fazem parte também da minha vida profissional como assistente social. Além dos sorrisos, as lágrimas também fazem parte da caminhada.

Esses dias, indo comprar duas cervejas no mercadinho, lembrei dessas histórias e chorei, e olhe que não fui eu o aprovado para lecionar na UFPB e preciso decidir sobre os próximos passos da minha vida.

Sei que a Educação Básica vai perder uma excelente professora, mas também sei da competência de outros/as que ficam e fazem a educação em João Pessoa, mesmo com todas as dificuldades impostas pela gestão municipal. O município perde uma doutora, mas ficam outras doutoras, mestres, especialistas e competentes graduadas/os. Ganha a UFPB uma grande professora, uma defensora da educação pública, gratuita, laica e de qualidade.

Força na jornada, companheira. A vida gira e sei da sua competência para aprumar o giro sempre que necessário. Te amo!