Siga o Blog por E-Mail.

domingo, 12 de agosto de 2018

Dia dos Pais, Parabéns para nós Pais (e para minha mãe).


Comecei a ter identidade com o dia dos pais apenas em 2001, com minha pequena ainda na barriga, foi meu primeiro agosto como pai, papai, painho ou papito, a depender do carinho ou dos objetivos (rsrsrsrsr) da filha maravilhosa que tenho a alegria de ser pai.

Não tenho nenhuma lembrança do meu pai, falecido pouco depois que completei 3 anos de idade. Até minha filha chegar nesse mundo, doido e ao mesmo tempo maravilhoso, meu dia dos pais era algo meio que transversal, dividido com os tios e avô, pessoas importantes em minha vida como referências paternas, em seus exemplos positivos ou negativos, mas pessoas que amo.

O 2001 foi, sem sombra de dúvidas, um divisor de águas em minha vida, conhecer na carne o que é ser pai, saber o quanto maravilho é receber um abraço simplesmente pelo abraço; acompanhar e contribuir nas descobertas; ser duro em um ensinamento quando gostaria de rir com aquela trela; dialogar e ter que descobrir temas os mais diversos; cobrar atenção ao “disputar” tempo com as/os amigas/os; ir para as apresentações da escolha, fotografar e filmar cada momento; respeitar as mudanças e as escolhas. Não caberia aqui cada detalhe do quanto maravilhoso é ser pai.

Acho muito bonito a forma como as pessoas se relacionam com seus pais, pude sentir essa relação do lado de cá, ao ser pai. Até então, sempre que as pessoas falavam em seus pais eu só lembrava da minha mãe, não que ela tenha sido pai e mãe, ela foi muitas vezes mãe, mulher de garra, cheia de vida e energia, assim como muitas mães que cumprem essa jornada sozinhas, seja por motivo de óbito, como no meu caso, seja pelo abandono por parte de muitos homens irresponsáveis por não cumprir suas obrigações e que não sabem a experiência maravilhosa que estão perdendo.

Parabéns para você que ama ser pai como eu amo!

Filha, obrigado pelo presente que você é, nosso amor não cabe no papel ou nas redes sociais.

Quero ainda antecipar os parabéns para minha mãe Rosimar, que amanhã (13 de agosto) faz aniversário, uma jovem mãe ainda meses distante dos 60 anos. Te amo infinitamente!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi gente, comentem e façam sugestões! Abraço.