Siga o Blog por E-Mail.

domingo, 20 de novembro de 2016

Siba, Voltando do Passado e Energizando o Presente.

“Quem tudo tem, tem Direito
Quem nada tem, nada tem”
(Siba)

O corre da vida pessoal, política e profissional, muitas vezes nos tira alguma coisa que gostamos, escrever sobre o cotidiano é uma das coisas que sinto falta, quem acompanha o “Vida Vivida” sabe disso. Felizmente, hoje, mesmo tendo perdido meus garranchos inelegíveis escritos no guardanapo em meio ao Show do Siba no Espaço Mundo, conseguirei “matar” uma dessas pendências.

O Show foi simplesmente INCRÍVEL, tanto para nós (público), como para os músicos, ao menos foi o que percebi. A última sexta foi daqueles dias que saí só, curti um pouco disso, mas depois tive a oportunidade de “tomar uma” com: colegas assistentes sociais, em um ambiente onde algumas não conheciam essa parte do meu currículo; militantes culturais, que já acompanharam minha presença na noite, nos mais diversos estágios; camaradas do partido, acho que posso dizer amigo, pelos momentos partilhados; companheir@s de luta; e com conhecid@s e desconhecid@s que curtem a noite da nossa linda João Pessoa.

Nesse dia - bem antes do final na calçada, tomando uma com Siba, ou perto dele, vez por outra dando uma de “entrão” na conversa - comecei a conversar com um colega que conheci em Cabedelo, desculpe se conheci antes, mas lembro de lá; “do nada”, lembrei e comecei a contar de um marco em minha vida musical. Comecei a contar o show do Mestre Ambrósio que fui na Concha Acústica da UFPE, eu tinha 15 ou 17 anos, foi a primeira vez que vi o Siba, eu nunca tinha escutado as músicas e não lembro com quem eu estava naquele dia, mas lembro que foi como já fosse um velho conhecido, as músicas vinham fáceis e aquele dia direcionaria minha vida musical, dando uma forcinha ao meu PrIrmão Frederico, que fez eu conhecer e gostar de muita coisa boa.

Eita! não ficaria legal meter mais ponto ou mais vírgula, pois falei tanta coisa que ficou distante, mas voltando... quando acabei de conta a história ao colega de Cabedelo, o jovem barbudo e de óculos olhou nos meus olhos e disse: “Eu era criança”. É! Cresci, aprendi, desaprendi, aprendi, tenho 39, quero alcançar Seu Valdemar (meu avô com 94 anos) e, se possível, quero passar dele com a energia de levantar os dedinhos no clima de Carnaval.

A noite é massa! @s artistas são incríveis! A pessoas são incríveis! Obrigado pela noite, amig@s, é massa saber que todo dia é dia de construir e reconstruir, saber que “TODA VEZ QUE EU DOU UM PASSO O MUNDO DA SAI DO LUGAR” (Siba).

Valeu, Siba. Volte sempre e traga essa turma massa que anda com você.



Ps.: #ForaTemer #ContraPEC241/55

Um comentário:

Oi gente, comentem e façam sugestões! Abraço.