Siga o Blog por E-Mail.

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

João Pessoa, Cartaxo (PT), a Mentira e o Pedido de Perdão!

“Então Pedro, aproximando-se dele, disse: Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?
Jesus lhe disse: Não te digo que até sete; mas, até setenta vezes sete.” (Mateus 18:21,22)

70 foi o percentual de aprovação apresentado por Cartaxo (PT) como resultado de uma pesquisa sobre sua gestão, um número cabalístico, misterioso como os mecanismos que levaram a tal resultado.

Seria uma mensagem subliminar bíblica do prefeito pedindo perdão pelos R$2,70 do preço das passagens que sobrecarrega o bolso do povo de João Pessoa? Ou seria um pedido de perdão por tirar nossa Lagoa há mais de 70 semanas e ainda não ter devolvido para cidade? Quem sabe não seja perdão pelos prometidos 70 milhões destinados para preservação da Barreira do Cabo Branco, até o momento sem nenhum resultado objetivo.

Cheguei em João Pessoa no dia 05 de agosto de 2007, fiquei alojado na casa de um casal amigo no Jaguaribe, foi só deixar as malas e sair com eles para Festa das Neves. Estamos perto de mais um aniversário da cidade, quem já visitou a Festa esse ano, como eu fiz, viu um grande esvaziamento já nos primeiros dias; ouviu as músicas no parque infantil (“senta rebolando, senta rebolando”); e percebeu a pobreza do palco e da decoração do Ponto dos Cem Réis.

Não faltam motivos para Cartaxo pedir perdão. É muito positiva a iniciativa de garantir que estudantes da rede municipal não paguem para brincar no parque, mas o dia ser contado como dia letivo é controverso, ganha a brincadeira, perde o conteúdo e leva uma falta junto, no mínimo contraditório. Para completar, ficam duas reflexões sobre essa ação positiva: uma é sobre as despesas das famílias para chegar ao local da festa; a outra é como esses bilhetes estão sendo contabilizados, estaria a prefeitura pagando por quem brincou e por quem não brincou ou é uma contrapartida do parque de diversões?

Verdade, caso listássemos os problemas da educação, da saúde, do meio ambiente, especialmente no Rio Gramame (que abastece 70% da Região Metropolita de João Pessoa), entre outros, as maldades do prefeito não caberiam em 70 parágrafos, pelo visto Cartaxo esqueceu que não vivemos um Estado Teocrático, não vai adiantar esperar perdão 70 x 7 vezes, o prefeito não será julgado por supostos pecados, mas pela terrível gestão para cidade e para o povo de João Pessoa.

Multiplicando 70 semanas por 7 dias chegamos a uma marca um pouco maior que um ano e quatro meses, exatamente o que falta para terminar definitivamente a gestão de Cartaxo e seus aliados. Saindo dos números bíblicos e indo para o popular, sete é a conta do mentiroso e a urna não tem perdão.

Que em um futuro próximo possamos dizer: João Pessoa, parabéns por ser uma cidade na qual seus moradores, visitantes e meio ambiente são respeitados.



Um comentário:

  1. Muito boa a sua analise cabalista das mentiras e suas metáforas para os desconhecidos. Quem chega na cidade e ver as propagandas, pode até acreditar, mas se a pessoa, mora, vive e trabalha na cidade, precisa fazer essa leitura. Parabéns pelo seu aniversário, no exato dia 5 de agosto, talvez seja a única e verdadeira cabala desse jogo de estatísticas muito bem maquiadas pelo poder público municipal.

    ResponderExcluir

Oi gente, comentem e façam sugestões! Abraço.