Siga o Blog por E-Mail.

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Constituinte como Frente Ampla é Afundar a Pauta das Reformas Estruturantes!

Acabo de receber um convite pelo facebook para “Construção da frente ampla e o novo momento das forças populares no Brasil”. Lembrem que o PT compõe uma Frente Ampla com o PMDB e outras legendas. Precisamos organizar uma frente pela esquerda, em uma articulação para além dos partidos políticos, sem iluminad@s dirigentes dando a linha em atos verticalizados.

Não adianta fazer textos ou falas emocionadas com um conteúdo progressista e acabar realizando atos rebaixados, meramente pró-governo, movimentos nesse formato não serão maiores que o dia 20 na Paraíba e em Pernambuco, fracassos propagandeados como vitória da classe quando na verdade foram atos de militantes e  de pequenos setores de movimentos, o povo não vai para atos como aqueles. Percebam, São Paulo manteve a pauta das reformas estruturantes, contra os “ajustes” do Governo, apontou uma unidade pela esquerda, foi um dos maiores dos últimos tempos para o campo popular. O Governo Dilma (PT) é indefensável, quem seguir a linha da defesa vai jogar lenha na fogueira da direita e do conservadorismo!

Todos/as lembram que defendi a pauta do Plebiscito por uma Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político quando estive como candidato ao Governo da Paraíba e como militante social que sou, mas querer ressuscitar essa pauta a cada esquina como se fosse uma realidade de setembro a setembro, “enfiando” em tudo quanto é assunto e dificultando o avanço de pautas diversas, como as que levaram milhões às ruas em 2013, é querer esconder um erro de análise ou tirar o foco da conjuntura do debate real.

O PSOL tem feito o debate da Reforma Política, mas transformar essa pauta na palavra de ordem da Constituinte, como se não existissem questões objetivas sendo votadas no Congresso, e ainda usar essa pauta para formar uma Frente Ampla, é um crime. Este caminho vai esconder pautas centrais para classe trabalhadora na conjuntura atual, a retirada de direitos, o ajuste fiscal, a agenda brasil, a contrarreforma eleitoral, entre outras crueldades assinadas pelo Governo do PT/PMDB e, por diversas vezes, contando com votos do PSDB.

Percebam, e desculpem a repetição, a todo momento vão usar o papo da “unidade”, e que essa “unidade” não pode ser abalada, em nome dessa “unidade” muitas pautas vão sendo secundarizadas; alguns secundarizando de forma inconsciente, outros taticamente, e ainda existem @s que sucundarizam estrategicamente. Na atual conjuntura uma Frente Ampla é afundar as bandeiras das reformas estruturantes.

Você sendo um burguês - ganhando a retirada dos direitos trabalhistas, mais da metade do PIB para pagamento da “dívida” pública, terceirização, redução do tempo de descanso d@s trabalhadores/as, podendo reduzir salário dos seus empregados/as, tendo parcela importante do movimento sindical desgastado por movimentos equivocados – iria querer que tipo de golpe?

Somos contra qualquer ataque a democracia, contra o golpe que vem sofrendo os trabalhadores/as. Sem essa de frente ampla, a saída é pela esquerda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi gente, comentem e façam sugestões! Abraço.