Siga o Blog por E-Mail.

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

Eleições na Paraíba, Segue a Revolta do Povo e Nossa Vontade de Lutar.

Agradecimento

Mais de 8 mil pessoas, 8.849 para ser mais preciso, saíram de casa para votar em nossa candidatura ao Governo da Paraíba. Essas pessoas merecem não só meus agradecimentos, mas meu compromisso público de que seguirei firme em meus ideais e em minha prática cotidiana na luta por direitos, nossa campanha é #ParaAlémDasUrnas, é #PorDireitoseLiberdade.

Antes de seguir com uma análise mais detalhada, apesar de muitas pessoas para agradecer, quero pedir licença para três agradecimentos especiais: para Áurea Augusta, esposa que amo e compartilho minha vida pessoal e política; aos companheir@s do PCR, que dedicaram energia ao nosso lado, trazendo para as eleições a frente formada nas ruas; e ao Thyago Xavier, amigo da luta por direitos que esteve ao meu lado na maior parte da campanha.

Analisando os Números na Paraíba

Essa foi uma das mais qualitativas votações da história do PSOL/PB. Tivemos 02 deputados federais entre os 25 mais bem votados, Gobira em 15º, com 48.157 votos, e Renan Palmeira em 25º, com 8.240 votos. O partido ainda teve a expressiva votação de Seu Ciço para Deputado Estadual (5.723 votos) e os 11.502 votos do companheiro Nelson Junior para o Senado.

Olhando para João Pessoa, os candidatos do PSOL ultrapassam os 26 mil votos, consolidando as lideranças do partido para luta por direitos e para eleições futuras. A mesma realidade marca Cabedelo, com o companheiro Marcos Patrício; Santa Rita, com José Silva; Pedras de Fogo, com Misael do Ovo;Princesa Isabel, com Dr. Rivaldo; Patos, com Daniel Pintor e Silvano Morais; e Cajazeiras, com Gobira. Em Campina Grande o PSOL deu um claro avanço no diálogo com a sociedade, o papel dos membros da coordenação da campanha, e dos nossos candidatos na cidade, deixa claro que podemos ir muito além.

Milhares de pessoas deixaram de votar em nossa candidatura na tentativa de acabar a eleição ainda no 1º Turno, uns dizendo ser um absurdo o retorno de um político Cassado e representante direto das oligarquias na Paraíba, outro dizendo não para forma autoritária e cercada de escândalos que envolvem o atual governo. Entendemos que esse caminho foi equivocado, uma pena que cederam ao terrorismo eleitoral, as eleições foram levadas ao 2º turno e nossa candidatura aparece menor do que realmente somos.

Uma análise acelerada da eleição dos filhos da oligarquia para Câmara dos Deputados, e da ínfima renovação na Assembleia Legislativa, pode aparentar que a Paraíba não quer mudança, o que não é verdade. A vontade de mudar o sistema político e dizer não para atual forma de fazer política é o maior recado das urnas na Paraíba, soma-se ao que apresentamos no parágrafo anterior os 192.482 mil votos nulos, os 107.143 mil votos brancos e as 500.260 pessoas que não foram votar.

Nossa Candidatura e o Segundo Turno na Paraíba

Saber dialogar com o desejo de mudança da população, e com a expectativa das pessoas que fizeram nossa candidatura, acaba por ampliar a cobrança sobre nossa posição no 2º turno; posição essa que tornaremos pública na quarta-feira (08/10), às 09h, pelo www.youtube.com/tarciohteixeira e em seguida com publicação de texto no www.tarcioteixeira.com.

Os Números do PSOL no Brasil

Nacionalmente o PSOL também alcançou a maior votação da história do partido. Tivemos mais de um milhão e meio de votos, um resultado que abafou a ultra direita e os fundamentalistas em nosso país, nossa companheira Luciana Genro foi brilhante em sua participação nas eleições.

Os números positivos do PSOL não param na expressiva votação da nossa presidente, ampliamos nossa bancada na Câmara dos Deputados (agora somos 05 Deputados Federais) e alcançamos a marca de 12 Deputados Estaduais em diferentes regiões do Brasil, dos quais destaco a eleição do meu amigo, e dirigente, Edilson Silva, um dos principais responsáveis por minha formação política.

Os Próximos Passos

São muitos os assuntos que eu ainda gostaria de tratar aqui, a desigualdade do processo eleitoral, o crime chamado compra de votos, as imoralidades do financiamento privado de campanha, a revolta da população com “os políticos” e mesmo a forma negativa como algumas pessoas são levadas para vala comum dos políticos profissionais, mas terei a oportunidade de seguis tratando desses assuntos em outro momento.

Não sou um político profissional, sou um Assistente Social e vivo do meu trabalho. Nos próximos dias vou resolver as pendências do processo eleitoral (prestação de contas, devolução do comitê, posicionamento sobre 2º Turno), retornar para meu trabalho no Ministério Público da Paraíba e voltar para minha militância no Conselho Regional de Serviço Social da Paraíba, entidade que representa quase 5 mil Assistentes Sociais e tem tido uma participação decisiva na luta por direitos em nossa Paraíba, rompendo os limites coorporativos e defendendo a população como um todo.

Seguirei onde sempre estive, na luta #PorDireitoeLiberdade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi gente, comentem e façam sugestões! Abraço.