Siga o Blog por E-Mail.

sábado, 29 de junho de 2013

Ricardo Coutinho Recebe Manifestantes de Forma Truculenta e é Informado Sobre Denúncia de Tortura na Integração.


Governador convida militantes que estão organizando atos em defesa do Transporte Público para reunião de negociação e não convida Movimento Passe Livre João Pessoa (MPL/JP). O Governo não esperava que os movimentos realizados Região Metropolitana estivessem tão bem articulados ao ponto dos/as militantes de Santa Rita, Bayeux e Cabedelo entrar em contato de imediato com parte da Coordenação do MPL/JP e que este grupo atenderia ao chamado e forma imediata e reivindicaria participação em reunião realizada no dia 28 de junho de 2013 no Palácio do Governo.

Após uma hora de espera pelo Governador do Estado o Secretário Tibério Limeira informou que só participariam um representante de cada um dos três municípios convidados (Bayeux, Santa Rita e Cabedelo) pois tratava-se de um reunião com os municípios da Região Metropolitana. Assim como vocês que estão lendo esse texto todos/as presentes ficaram perplexos com esse tremendo erro geográfico (e principalmente político), já que João Pessoa, a Capital da Paraíba, é parte da Região Metropolitana.

Após diversos argumentos democráticos e organizativos o Secretário Tibério foi para outra sala encontrar o Governador Ricardo Coutinho e as Secretárias Cida Ramos e Ana Paula de Souza Almeida. Após consultar a cúpula ali reunida Tibério voltou com uma proposta, melhor dizendo, veio com uma imposição difícil de acreditar; entrariam na reunião apenas dois representantes de cada uma das três cidades convidadas e um de João Pessoa, mas o PIOR que eles determinaram quem representaria o Movimento de forma que aparentou ser uma medida para deixar de fora o Presidente do Conselho Regional de Serviço Social da Paraíba (eu), militante da luta pelo passe livre em João Pessoa. Abrir negociação com uma truculência desse porte é provocar o movimento e deixar claro que a postura do Governo é no sentido contrário da tranqüilidade apresentada pelo povo nas ruas de João Pessoa.

Permitam um parêntese, truculenta, ou melhor, violenta foram as notícias vindas da madrugada do dia da reunião. São muitas as denúncias (já na Ouvidoria da PM) de que jovens que pulavam catraca ao chegar na integração eram levados para sala da “Polícia Cidadã” e sofriam as mais diversas formas de tortura física e psicológica. As denúncias versam ainda sobre o envolvimento de alguns Guardas Municipais nesse processo. Em época de Comissão da Verdade, de luta pelo avanço na responsabilização dos torturadores da ditadura, é inadmissível que jovens sejam torturados por agentes públicos. Faremos ato público na segunda-feira, 17h, dentro da integração, será um ato simbólico para que avancem as investigações e os responsáveis por tal crueldade sejam responsabilizados. Ricardo Coutinho e Luciano Cartaxo precisam entrar em cena e tomar as medidas cabíveis o mais breve possível.

Voltando a reunião da truculência. Uma postura como essa vinda do Governador do Estado já é algo esperado por muitos/as de nós, acredito que deve ter sido constrangedor para os/as três Secretários/as ali presentes; ou eles/as concordam com essa postura que abala a democracia e a autonomia dos movimentos sociais?

A medida exposta nos faz refletir se o interesse do Governador não seria apenas construir um factóide e anunciar uma irrisória redução da tarifa, como fez seu opositor Prefeito de João Pessoa. Caso tenha sido esse o objetivo dos/as que fazem esse Governo truculento... devem ter percebido a força e a articulação do povo em luta.

Terça (02/07/2013- 15h) tem nova reunião de negociação, escolheremos e enviaremos nossos/as representantes e seguiremos nas ruas até ampliar nossas conquistas.

Outras Agendas:

Terça (02/07/13- 13h) – Ato público para protocolar pauta de reivindicações na Prefeitura.


Quinta (04/07/13- 14h30) – Ato público “Passe Livre Para Cultura”. Parceria Movimento Cultura e Avante Movimento Passe Livre João Pessoa.


Tárcio Teixeira – Presidente do CRESS/PB e membro do MPL/JP.

3 comentários:

  1. Ana Cristina Ribeiro29 de junho de 2013 20:52

    Com essa postura, Ricardo já deixa claro que não está aberto a negociações, apenas faz o teatro da hipocrisia. O que saiu de concreto da reunião para inglês ver??

    ResponderExcluir
  2. Ana Cristina Ribeiro29 de junho de 2013 20:55

    Com essa postura, Ricardo já deixa claro que não haverá negociação, apenas faz o teatro da hipocrisia. O que saiu de concreto dessa reunião???

    ResponderExcluir
  3. Sao duas perguntas: sera que a administraçao estadual, nao sabe, que joao pessoa, faz parte da regiao metropolitana? Se esta havendo tortura, nos estamos no regime militar, de 1964? Se alguem puder responder, ficarei grato! Obrigado.

    ResponderExcluir

Oi gente, comentem e façam sugestões! Abraço.