Siga o Blog por E-Mail.

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Margareth: A Thatcher Neoliberal da UFPB.



Muitos/as dos/as meus amigos/as ficaram assustados ao ver minha imagem raivosa nos partais, jornais e televisão no dia de ontem (01 de maio); assim ficaram por saber que sou uma pessoa tranquila e disposta ao diálogo; mas essas pessoas também sabem que diante de golpes e violência eu passo pela transformação necessária ao enfrentamento do momento; foi o que aconteceu no dia 30 de abril, quando a Reitora da UFPB (Margareth Diniz) colocou o processo de privatização do Hospital Universitário em votação no COSUNI (Conselho Universitário) em meio as férias, sem nenhum diálogo com a comunidade universitária (ou a população usuária), e, ainda, um de seus conselheiros agrediu uma jovem militante represente da Executiva Nacional de Estudantes de Serviço Social.

Durante a reunião do CONSUNI, após uma queda de energia, um professor - que tem fama de passar boa parte de suas aulas defendendo Ricardo Coutinho - veio com uma suposta educação passando por cima de dezenas de militantes e querendo virar eletricista; esse mesmo professor veio querer provocar em sua forma arrogante, ele buscava fazer um debate técnico em um momento nada apropriado, perguntava repetitivamente qual a empresa privada que compraria o HU, como eu já sabia onde ele queria chegar, ignorei sua arrogância que subestimava minha pouca inteligência. Não teve eletricista certo, a reunião do CONSUNI foi encerrada de foram pública pela Reitora, que ainda permitiu, com a sua manobra, que um de seus conselheiros usasse de violência contra uma jovem e guerreira militante.

Os/as militantes que ainda tinham dúvidas da aliança de Margareth com REIcardo Coutinho, agora devem ter certeza desse processo, a retirada de candidatura em prol da atual Reitora e seus aliados de primeira mão (inclusive o tal professor eletricista) já deixava clara essa aliança. Felizmente a Reitora mostrou a cara logo no início do seu mandato, assim favorece a unidade da esquerda contra ditadura Reitoria e Governo do Estado.

A unidade entre os setores que defendem a Universidade e a Saúde Pública inviabilizaram a reunião do CONSUNI, o que obrigaria a Reitora a fazer nova convocatória com 72h de antecedência; mas Margareth preferiu um golpe após o outro, inventou uma suposta transferência do local do CONSUNI (mesmo tendo encerrado a reunião) e inviabilizou que outros membros do Conselho participassem da reunião. Com esta manobra a REItora publicou na página da UFPB que o processo de Privatização do HU foi aprovado.

A reunião do CONSUNI foi encerrada sem aprovação de entrega do HU para EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares), o que houve depois foi qualquer confraria de golpistas.

Segue Firme a Privataria

Privatização, por algum tempo tentaram ludibriar o povo com a falácia de que ela não mais existia. As elites do nosso país, atualmente representadas pelo Governo do PT, buscaram de todas as formas esconder suas medidas neoliberais com o argumento de que esse método era coisa da Privataria Tucana. Hoje, todos/as sabem que o processo de privatização existe em nosso país e segue com toda força. É verdade que o Governo Fernando Henrique Cardoso (PSDB) é, até hoje, o maior responsável pela entrega do patrimônio do povo para iniciativa privada; contudo, os governos seguintes (Lula e Dilma) não deixaram de pautar essa política neoliberal.

O Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ainda no primeiro mandato, aprovou a reforma da previdência que avançou em sua privatização, da mesma forma, derramou imensa quantia de recursos públicos no ensino privado. Atualmente o Governo Dilma segue a política privatizante em uma intensidade muito superior ao seu antecessor. Em nosso país, o atual governo do PT segue privatizando a saúde, portos, aeroportos, educação, Correios, entre dezenas de outros ataques ao patrimônio público.

A entrega da saúde pública, mais precisamente dos Hospitais Universitários, tem sido exemplo para o restante do país. Na Paraíba o Governo REIcardo Coutinho (PSB) entregou o Trauma de forma agressiva e contrariando a vontade do povo, felizmente a pressão popular impediu que esse processo avançasse pelo interior da Paraíba com a força que ele pretendia. Os especialistas em privatização e aliados do PSB na Paraíba, o PSDB de Cássio e Cícero Lucena, aprovaram uma lei municipal em Campina Grande que entrega, de uma só vez, todas as políticas públicas para iniciativa privada; esta medida aprovada pela Câmara Municipal nada mais é que uma cópia do Projeto de Lei que Luciano Agra, aliado do PT de Luciano Cartaxo, tentou aprovar em João Pessoa quando ele era prefeito.


Atualidade da Luta

Da mesma forma que o processo privatizante segue uma medida atual implementada pelo Neoliberalismo, os/as lutadores/as sociais seguem cientes da atualidade da luta social. Sigamos flexíveis ao diálogo, intransigentes na defesa da democracia e agressivos no enfrentamento a violência contra mulher e a entrega do patrimônio público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi gente, comentem e façam sugestões! Abraço.