Siga o Blog por E-Mail.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Cabeça Dinossauro.


Tum, Tum, Tum, Tum... “Cabeça dinossauro/Cabeça dinossauro/Cabeça cabeça/Cabeça dinossauro”... Foi com o peso deste clássico da música brasileira que teve início o Show dos Titãs em João Pessoa. Figuras de todas as idades tiveram a oportunidade de “bater cabeça” vendo ao fundo do palco a exposição de uma verdadeira obra de arte com traços de Leonardo da Vinci.

A experiência dos quatro remanescentes (Sérgio Britto, Tony Bellotto, Paulo Miklos e Branco Mello) permitia que brincassem com o público com o “Que não é o que não pode ser que/Não é o que não pode/Ser que não é”.

Quando os caras montaram a banda (1982) eu tinha apenas quatro anos; em 1986, ano do “Cabeça Dinossauro”, eu estava prestes a fazer meus nove anos, não tinha a menor ideia do que queriam dizer com “Estado Violência/Deixem-me querer/Estado Violência/Deixem-me pensar”.

Alguns anos depois, eu já começa a entender alguma coisa, já era possível saber que “A vida até parece uma festa,/Em certas horas isso é o que nos resta./Não se esquece o preço que ela cobra,/Em certas horas isso é o que nos sobra.”. Já estamos em Titanomaquia, 1992, pela primeira vez eu gazeava aula, não por diversão, mas para saber o que acontecia nas ruas com o Fora Collor.

Tempo de muitas descobertas, de um poder que eu não sabia de onde vinha nem para onde canalizar, não sei se era isso que os caras queriam dizer com “Nem sempre se pode ser Deus/Por isso que estou gritando”; mas descobrir que não tinha aquele poder todo que eu pensava ter na minha adolescência, não era fácil. Felizmente aprendemos, mesmo que um pouco, a canalizar essas energias, “Mesmo que ninguém escute/Mesmo que ninguém ouça/Mesmo que ninguém acredite/No que sai da minha boca”.

Voltando ao SHOW de sábado... Como Cabedelo não tem segundo turno, nada impediu a máxima “Às vezes qualquer um enche a cabeça de álcool”. Foi um importante rito para relaxar e seguir com passos firmes, cabeça erguida e uma voz pesada: “Bichos Escrotos/Saiam dos esgotos/Bichos Escrotos/Venham enfeitar/Meu lar!/Meu jantar!/Meu nobre paladar!”.

Abraço!

sábado, 27 de outubro de 2012

Capibaribe


Estou em um dia de solidão
Andando pelas ruas do Recife
Curtindo o silêncio da noite
Observando os sussurros do silêncio
Passo por uma de tantas belas pontes
As águas chamam pelo meu nome
Vejo nas águas do Capibaribe os metros cúbicos do meu amor
Chego na Conde da Boa Vista
Sinto vontade de voltar e olhar suas águas
Ando "para trás" como caranguejos no mangue
Mais uma vez o rio
Dessa vez imagino o caminho de suas águas
Vi os limites do meu coração
Apesar do medo
Mesmo inseguro
Fechei os olhos e vi o encontro dessa maravilha com o mar
Senti meu coração livre
De volta à ponte visualizei o tamanho do aterro
Lembrei das vezes que tive minhas paixões sufocadas
Abri os olhos
Vi a noite com uma enorme lua
O Luar refletindo nas águas ilimitadas que misturam-se com mar
Senti mais uma vez meu coração livre para amar
Ao mesmo tempo vi os barcos amarrados em suas margens
Senti a pressão de algumas âncoras espremer meu peito
Compreendo que o belo rio acolhe esses barcos com amor
Tenho clareza que as âncoras em meu coração são bem amadas
Imaginei os barcos mais frágeis que afundaram nessas águas
Não tenho medo de afundar
Com honestidade digo quem sou
Meu medo maior é dos barcos mais frágeis
Não lanço âncoras
Mas sinto algumas serem arremessadas em meu coração
Fico preocupado com quem não consegue levantar âncora
Ao mesmo tempo não consigo negar meu amor
Não consigo negar minhas paixões
As águas ilimitadas do Capibaribe
Cada metro cúbico de água
Cada barco acolhido
Cada âncora lançada
Vejo o reflexo do que sou
Vejo os não limites do amor
Vejo o reflexo do meu amor


 (Tárcio Teixeira- entre 2004/2005)

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Justiça Julga Procedente Liberação de Servidor do Ministério Público para Mandato de Presidente no Conselho Regional de Serviço Social da Paraíba.


http://cresspb.org.br/noticias/justica-julga-procedente-liberacao-de-servidor-do-ministerio-publico-para-mandato-de-presidente-no-conselho-regional-de-servico-social-da-paraiba/

Após o Procurador Geral do Ministério Pública da Paraíba (hoje Presidente do Conselho Nacional de Procuradores-Gerais de Justiça- CNMP), Drº Oswaldo Trigueiro do Valle Filho, ter negado a liberação do Assistente Social Tárcio Teixeira para que este pudesse dedicar-se as suas atribuições de Presidente do Conselho Regional de Serviço Social 13ª Região- Paraíba (CRESS/PB), o Judiciário paraibano entende que a medida não foi a mais adequada.
Há exatos 06 meses o Presidente do CRESS/PB dava entrada no Mandado de Segurança nº 200.2012.079.777-0 reivindicando sua liberação, pedido julgado procedente no dia 22 de outubro de 2012. O Procurador Geral de Justiça ainda pode recorrer da posição da Juíza da 2ª Vara da Fazenda Pública, medida essa que protelaria ainda mais o avanço das ações do Conselho, inclusive nas parcerias existentes como Ministério Público na garantia dos direitos da população paraibana.
Hoje o Conselho Regional de Serviço Social da Paraíba tem mais de 4.200 assistentes sociais inscritos/as no Conselho, sendo aproximadamente 2.500 profissionais ativos/as. Os/as assistentes sociais são profissionais inseridos/as nas diversas políticas públicas, entre elas destacamos a Saúde, Assistência Social e Educação.
O CRESS/PB possui dois Termos de Cooperação com o Ministério Público da Paraíba (MPPB) em plena atividade, sendo um voltado para fiscalização das unidades de saúde em João Pessoa e outro que atualmente contribui com as inspeções realizadas nas unidades de internação de longa permanência para pessoa idosa, a exemplo das inspeções realizadas no mês de outubro no sertão paraibano.
Os/as Conselheiros/as do CRESS/PB não recebem salário ou gratificação para desenvolver suas atribuições de conselheiros/as, sendo estas, resultado de mera doação militante.
Sabendo da importância das parcerias hoje estabelecidas entre o MPPB e o CRESS/PB, da importância das duas instituições na garantia dos direitos da população paraibana e tendo clareza do direito dos servidores do MPPB em ter garantida sua liberação para “Mandato Classista” (Resolução MPPB), temos claro que hoje deve existir um entendimento comum entre as duas instituições no sentido de garantir o bom andamento da parceria estabelecida.
João Pessoa, 22 de outubro de 2012.
Conselho Regional de Serviço Social 13ª Região- Paraíba.

domingo, 14 de outubro de 2012

Reabrindo o Baú para o Futuro.


Após alguns meses sem abrir meu Baú misterioso (até hoje não sei como foi parar em minhas mãos), dedicando minhas energias para trabalho, família, CRESS e eleições; finalmente tive uma folguinha e pude assistir “Raul: o início, o fim e o meio”. Já nos primeiros minutos nosso mito diz que tem medo de morrer; muito bem editado, o vídeo segue contando a vida e as mortes de Raul Seixas.

“Vou te encontrar vestida de cetim,
Pois em qualquer lugar esperas só por mim
E no teu beijo provar o gosto estranho
Que eu quero e não desejo, mas tenho que encontrar
Vem, mas demore a chegar.
Eu te detesto e amo morte, morte, morte
Que talvez seja o segredo desta vida
Morte, morte, morte que talvez seja o segredo desta vida”


As pessoas que passam em nossas vidas, ou em nossas mortes, nem sempre ficam e nem sempre voltam. Nasci em 1977, ano do “dia que a terra parou”, muitos andaram e (alguns) andam na mesma estrada que eu; é verdade que também corri, arrastei, fui arrastado e cochilei em alguns pontos; mas também é verdade que não são apenas nossas escolhas individuais que ditam o ritmo nessa longa estrada.

“Humm...Estou sempre,
pensando em aparar o cabelo de alguém.
E sempre tentando mudar a direção do trem.
À noite a luz do meu quarto eu não quero apagar,
Pra que você não tropece na escada, quando chegar.”


Em 13 de agosto de 1989, dia do aniversário de minha mãe, Raul fez seu último show, morrendo alguns dias depois, nas alturas de um 10º andar. Ainda vivo, na tranqüilidade de viver, e não tendo pressa para receber a bela morte, Raul diz sorrindo: “Todos rejeitam, mas esperam que ela venha bonita.”

“Amor só dura em liberdade
O ciúme é só vaidade
Sofro, mas eu vou te libertar
O que é que eu quero
Se eu te privo
Do que eu mais venero
Que é a beleza de deitar...”

Uma hora e trinta minutos de vídeo fez com que eu retornasse ao meu Baú, desde que ele ficou espremido na estante que eu não o visito como gostaria. Abri o baú e coloquei alguns pedacinhos dos últimos meses (Palmas, eleições, família e 30 anos do CRESS/PB), é bom saber que a estrada segue larga e repleta de andarilhos e maratonistas.

Ainda quero colocar muitas “histórias” no Baú; sigo sem pressa para o encontro com a Bela Morte, mas quando ela marcar sua visita, que venha perfumada em seu vestido de cetim e, sem pressa, permita que eu resolva algumas pendências coletivas.

Agradeço e abraço @s andarilh@s que encontramos nos últimos meses, a estrada é longa, mas estamos junt@s, maiores e mais fortes.



O PSOL no 2° Turno em João Pessoa

O Partido Socialismo e Liberdade – PSOL, através da Comissão Executiva Municipal, manifesta a seguinte posição acerca das eleições municipais em 2° turno, no município de João Pessoa:

1. O PSOL considera que o resultado eleitoral é a expressão das limitações da democracia no Brasil, onde a força do poder econômico e das máquinas administrativas prevalecem.

2. Nossas candidaturas, brilhantemente representadas por Renan Palmeira e nossas candidaturas a vereador, expressaram a contestação à ordem estabelecida e às candidaturas tradicionais do PT, PSDB, PMDB e PSB.

3. Diante do exposto, o PSOL declara:

3.1 O PSOL não apoia ou indica o voto em qualquer dos candidatos que passaram para o 2° turno das eleições no município de João Pessoa.
3.2 O PSOL desautoriza qualquer manifestação de filiado em nome do Partido sobre o processo eleitoral que contrarie a posição aqui estabelecida.
3.3 O PSOL respeita o voto dos seus filiados e simpatizantes, desde que cada um assuma individualmente a sua decisão, sem comprometer a acúmulo político coletivo conquistado pelo PSOL.
4. A prioridade do PSOL, neste momento, é organizar o Partido, torna-lo forte e preparado para os próximos embates, em processos de mobilização popular e/ou eleitorais.

João Pessoa/PB, 11 de outubro de 2012.


EXECUTIVA MUNICIPAL do PSOL – João Pessoa/PB


segunda-feira, 8 de outubro de 2012

João Pessoa: Segundo Turno.


Não sou nenhum cientista político renomado, mas há uns 20 dias afirmei que Estela havia entregue a campanha e, antes dessa afirmação, apesar da minha pouca experiência política, eu disse que Estela não ganharia por um único motivo: não teve a possibilidade de ser ela!

Apesar das diferenças político-administrativas que existem entre eu e Estela, não podemos negar sua simpatia e seu potencia intelectual... Sim, mas onde ela entregou a campanha? Simples, quando a verdadeira Estela foi posta de lado para iniciar a campanha de reeleição de Ricardo Coutinho. O Governador entrou no guia e nos debates entre candidatos, foi defendido por Estela como nem ele mesmo conseguiria fazer. A campanha do PSB nada mais foi que a de tentar fortalecer Ricardo para 2014, tarefa essa que, em minha modesta opinião, foi muito mal feita; Ricardo é o maior derrotado dessas eleições.

Outra coisa, lembram do texto que escrevi antes do inicio das eleições (http://www.tarcioteixeira.com/2012/03/renan-palmeira-e-pre-candidato-prefeito.html)? Alguns acharam um equívoco, e em parte acabou sendo, mas pergunto: com Cartaxo no Segundo Turno, Ricardo seguirá com Agra ou permanece com seus aliados do PSDB que querem “tomar” de volta as rédeas do Governo da Paraíba?

___________________________________________________

Ps.: Em breve farei uma avaliação do que vi, senti e aprendi nessas eleições.

Ps.: A próxima legislatura da Câmara de João Pessoa será ainda mais atrasada que a atual, nesse processo Sandra Marrocos não foi reeleita por dois motivos: 1. ter tomado a frente do processo de privatização das políticas públicas na Câmara; 2. ter vestido a camisa de Ricardo sem as devidas mediações.