Siga o Blog por E-Mail.

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Texto Enviado por e-mail para ASMPPB.


Amig@s, eu havia enviado esse texto apenas para o e-mail da ASMPPB, como mais uma vez não tive respostas e divers@s colegas servidores/as perguntam sobre o assunto, resolvi publicar esse texto... ainda bem atual! Boa leitura...



Colegas Servidores/as do MPPB

Há um bom tempo não faço debate raivoso em minha militância, principalmente no debate corporativo com meus colegas de trabalho, agir dessa forma não só dificultaria o bom andamento das reivindicações da classe como também criaria um clima muito ruim aos que vivem uma mesma instituição durante uma longa vida profissional. Obviamente que a afirmação anterior não significa esconder as diferenças existentes, mas fazer de forma educada e pública, possibilitando que a categoria, democraticamente, conheça o posicionamento de sua entidade e, consequentemente, possa construir o seu futuro e contar com seu apoio.

É do conhecimento de boa parte dos/as assistentes sociais da Paraíba e servidores do MPPB que demos entrada em um Mandado de Segurança para que nos seja garantido o direito de ser liberado para acompanhar o Conselho Regional de Serviço Social da Paraíba. Escreverei aqui do papel que entendo de uma associação nesse processo, evitando desencontro de informações, não entrarei em detalhes os quais não tenho protocolo, mesmo tendo alguns pontos muito interessantes ao debate, irei desconsiderar o que foi dito por telefone, pois não tenho como fortalecer meu procedimento de uma maneira tão informal.

Ainda em junho publiquei no facebook da ASMPPB um pedido para que a Associação se posicionasse sobre o assunto, os colegas entenderam que não tinham material suficiente para tomar uma posição, então, durante minhas férias, fui na 2ª Vara da Fazenda Pública, tirei cópia do procedimento e protocolei a entrega na sede da nossa entidade de classe. Fiz isso ainda na primeira quinzena de julho, se não estou enganado, no dia onze.

Aprendi que uma entidade de classe não deve omitir sua posição sobre assuntos que envolvam seus associados, aprendi ainda que uma suposta neutralidade sempre favorece alguém, seja intencionalmente ou não. Não posso concordar que o debate político seja posto de lado em nome do jurídico, os processos sociais caminham juntos, não fosse isso as entidades de classe não fariam debate político concomitantemente ações judiciais. Obviamente que não vou tirar essas conclusões da nossa Associação, não acredito que nossa direção vá esperar o judiciário decidir para tomar sua posição ou para dizer que a justiça já tomou a decisão e não podemos fazer nada, caso fosse isso, uns diriam que estão lavando as mãos para o assunto e afirmando que esse assunto não diz respeito aos servidores do MPPB. Apesar de discordar de alguns encaminhamentos dados pela Associação dos Servidores do MPPB, acredito que existem pessoas que não lavarão as mãos e tornarão pública sua posição, mesmo que seja um posicionamento contrário ao meu pleito.

O direito a justiça é algo imensurável para o sistema democrático no qual vivemos, assim como a livre expressão das posições políticas; jamais nossa associação deixaria de tomar posição devido um servidor buscar juridicamente um direito que, na nossa avaliação, vem sendo negado. Caso o sistema jurídico venha a negar nosso pedido, iremos recorrer, mas essa não é a questão, nosso objetivo é fortalecer a entidade e mostrar para todos/as os/as servidores/as que podemos contar com nossa Associação nos momentos difíceis.

Todos Juntos, somos fortes!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Oi gente, comentem e façam sugestões! Abraço.