Siga o Blog por E-Mail.

domingo, 29 de maio de 2011

LUTAR NÃO É CRIME!

SEGUEM AS AÇÕES EM SOLIDARIEDADE A ENVER JOSÉ, UM LUTADOR DO POVO!



Assine a petição pública on Line:

http://www.peticaopublica.com.br/?pi=P2011N10337

Participe de reunião nessa terça-feira (31/05), às 18h00 no auditório do DCE-UFPB (Nova sede) próximo ao Centro de Vivências da UFPB.

A nota de solidariedade encontra-se na publicação anterior do blog http://www.tarcioteixeira.com/

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Todo Apoio ao Companheiro Enver! - Convocatória Assembléia Popular.

Assembléia Popular

“Mutirão para um novo Brasil”


João Pessoa, 23 de Maio de 2011.


CONVOCATÓRIA


Companheiros e companheiras, lutadores e lutadoras do povo,


Estejam bem!

Desde o final de dezembro de 2010 ocorrem as mobilizações contra o aumento no preço da passagem e a má qualidade dos serviços de transporte coletivo, pressionando nas ruas os governos por um modelo de mobilidade urbana que atenda às necessidades dos trabalhadores brasileiros.

A organização e mobilização popular se fazem necessárias para que qualquer transformação possa ocorrer no país e esse é o papel que cumprem os movimentos sociais: reivindicar e cobrar por melhorias nas condições de vida da população.

O militante do Movimento Levante e do DCE UFPB, Enver José Lopes Cabral, está sendo intimado e será processado por participar das manifestações. Este fato caracteriza a clara perseguição que os militantes sociais sofrem por lutar em defesa dos interesses da população.

Toda a população de João Pessoa acompanhou o movimento pacífico que fizemos desde 29 de dezembro. E não vamos nos calar diante dessa injustiça e declarada perseguição aos movimentos sociais que buscam uma transformação no país!

Por isso viemos convidá-lo para uma reunião dia 24/05, terça-feira, às 18h na sede do DCE UFPB.

Contamos com sua presença e solidariedade,


JUVENTUDE QUE OUSA LUTAR: CONSTRÓI O PODER POPULAR!

domingo, 15 de maio de 2011

Um Novo 15 de maio é Possível!

Para alguns pode ser por causa da aprovação da encíclica Rerum Novarum (15/05/1891). Outros podem imaginar ser pela comemoração dos seus 40 anos com a encíclica Quadragésimo Ano (15/05/1931). Ainda existem aqueles que dizem ser pela data na qual a profissão foi regulamentada (15/05/1962). Fato que em qualquer dessas opções significaria uma moral Branca, Heterossexual, Monogâmica e Católica, como aponta a última pesquisa do CFESS sobre o perfil da profissão.

Prefiro ficar com a atual campanha do CFESS (“Serviço Social: compromisso de classe por uma sociedade emancipada”) e com o 15 de maio de 1848, quando houve a ocupação da Assembléia Nacional Francesa por artesãos e operários. Este é o Projeto Ético-Político que defendo!

É preciso um basta na moral conservadora imposta socialmente e referenciada pelo conservadorismo ainda presente no Serviço Social! Precisamos afundar o racismo, machismo, homofobia e qualquer outra forma de opressão. Esses são os valores que acabam por favorecer a violência contra a mulher e a violência sexual de uma forma mais ampla. Por sinal, temos uma data importante relacionada a essa temática nos próximos dias, o 18 de maio, dia nacional de enfrentamento ao abuso e a exploração contra crianças e adolescentes.

Um dia, quem sabe não teremos um 15 de maio de outras tantas lutas e revoluções!

Um forte abraço e, mais uma vez, parabéns!

sexta-feira, 13 de maio de 2011

15 de Maio - Dia do Assistente Social

Programação da Semana do Assistente Social no http://www.construindochapacresspb.blogspot.com/


Acreditamos que todos Promotores do Ministério Público da Paraíba- MPPB já escutaram falar ou tiveram a intervenção de um Assistente Social em algum procedimento de sua responsabilidade, seja por servidores da casa ou por profissionais vinculados as diversas Unidades de Saúde, Centros de Referência da Assistência Social, Escolas, ou mesmo por termos de cooperação com o Conselho Regional de Serviço Social. A participação desses profissionais junto aos Promotores de Justiça é ampliada a cada dia, tamanha a demanda da sociedade e a necessidade de aprimorar a relação entre os diferentes campos do saber.

A profissão foi regulamentada no Brasil no ano de 1957, apesar das primeiras escolas serem datadas da década de 1930. Em todo país são aproximadamente 100 mil profissionais. Na Paraíba esse número é perto dos 3 mil, formando-se anualmente em média 150 Assistentes Sociais na Universidade Estadual da Paraíba e Universidade Federal da Paraíba, quantidade que será ainda maior quando começarem a concluir o curso os alunos da Universidade Federal de Campina Grande, o mais recente dos três cursos. Vale salientar que aqui falamos apenas dos cursos presenciais.

No Ministério Público da Paraíba são 18 servidores Bacharéis em Serviço Social, mesmo não sendo todos lotados na área específica, são mais que merecedores dos parabéns pelo dia do Assistente Social. Em nosso órgão os campos de atuação são os mais diversos, seja nas Promotorias do Cidadão ou Infância e Juventude da Capital, no Departamento de Recursos Humanos, nos Núcleos Psicossociais de Campina Grande e João Pessoa, ou em algumas outras Promotorias da Paraíba.

Profissionais que cotidianamente contribuem com a garantia dos direitos da sociedade. Seja participando das inspeções relacionadas aos adolescentes em conflito com a lei, atendendo um casos específicos ou as políticas públicas de uma forma mais geral, a exemplo de crianças vítimas de abuso sexual, da política de acolhimento ou o resgate de um idoso vítima de violência. O profissional de Serviço Social pode atuar na elaboração de Estudos, Laudos e Pareceres Sociais nos mais diversos campos, seja nas áreas já mencionadas ou em outros espaços fundamentais da atuação do MPPB, como na saúde, educação, mulher, entre outros.

Não poderíamos esquecer que esses profissionais envolvem-se ainda em elaboração de projetos, campanhas de prevenção, elaboração de material informativo e palestras relacionadas a especificidade de cada um deles. Da mesma forma, pode cumprir papel importante no acompanhamentos dos espaços de articulação da sociedade civil e do poder público, a exemplo das Conferências relacionadas as diferentes políticas públicas, Conselhos de Direitos e dos Fóruns e Redes da Sociedade Civil.

Parabéns aos Assistentes Sociais do MPPB e todos os demais que contribuem nessa atividade diária de planejamento, avaliação, monitoramento e execução das políticas públicas.



Tárcio Teixeira
Assistente Social do Núcleo Psicossocial
Ministério Público da Paraíba

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Unidade pro DCE UFPB seguir na luta!

“É preciso não ter medo, é preciso ter a coragem de dizer!” Carlos Marighella


O Movimento Levante constrói o movimento estudantil na UFPB desde o ano de 2006, a partir de uma ampla mobilização de centros acadêmicos e coletivos estudantis que escolheram pautar a necessidade de um movimento estudantil combativo e independente, capaz de problematizar as questões que envolvem o cotidiano d@s estudantes e da universidade e aliado aos movimentos sociais que lutam pela superação das relações de exploração, opressão e poder existentes na sociedade.

Nossa opção é pela classe trabalhadora e pelos estudantes e o nosso compromisso com o movimento estudantil é o de buscar formas inovadoras para problematizar com o conjunto d@s estudantes na realidade vivida pel@s mesm@s, os problemas que enfretam na universidade durante sua formação profissional e em sua vida. Para isso, buscamos sempre a construção de espaços de reflexão crítica, mobilização coletiva e formação política. Acreditamos que apenas dessa forma podemos desenvolver uma postura coerente e uma práxis (união dialética entre a teoria e a prática), de fato, transformadora. Estivemos na linha de frente de todas as mobilizações estudantis dos últimos anos – como a luta contra o aumento da passagem de ônibus que tomou as ruas no final do ano passado – e as tocamos com muita responsabilidade ao lado de outros coletivos, organizações e militantes independentes.

“Faz escuro, mas eu canto...” Thiago de Mello

A UFPB tem uma particularidade entre as Universidades Federais, que é a de ter uma direita coronelista organizada e que, ainda hoje, disputa a base do ME. Essa direita nunca deixou de existir desde a redemocratização (1985). Entretanto, nos últimos anos, com a sua ligação direta à máfia de carteiras e ao empresariado do transporte, vem ganhando força política com o aparato financeiro construído com essa máfia. Pra eles, pouco importa a política educacional e os problemas por que passam os estudantes em seu cotidiano: querem apenas garantir sua fatia do bolo e assegurar a direção do DCE para manter o controle da confecção de carteiras e calar a boca dos militantes comprometidos com as causas estudantis e sociais.

Acreditamos na importância de disputar o Diretório Central dos Estudantes por compreender que a entidade é uma importante ferramenta de articulação dos centros/diretórios acadêmicos e movimentos sociais que existem na UFPB. Queremos que a entidade seja um instrumento de luta d@s estudantes e sabemos que isso não é tarefa de poucos: precisamos de tod@s os que estão comprometidos com a construção de um movimento independente, combativo e radicalmente democrático. A existência de uma direita organizada, o momento de retração das lutas sociais e a descrença da juventude em saídas coletivas para os problemas que enfrentamos justificaram e ainda justificam a UNIDADE entre as forças políticas que compuseram a chapa “Viramundo: que a universidade se pinte de povo” ano passado.

Aproximamos-nos dos CAs e DAs chamando os Conselhos de Entidades de Base e realizando reuniões amplas para debater os problemas dos cursos e d@s estudantes. Estivemos à frente, ao lado de uma juventude guerreira, da Greve Geral do Campus IV, onde questionamos duramente o processo de expansão da UFPB, que visa quantidade mas não presa pela qualidade de nossa formação. Lutamos contra o aumento da passagem de ônibus, representando na cidade de João Pessoa um contraponto sério à política de transportes da Prefeitura. Podemos muito mais, mas isso depende da ampliação da nossa capacidade de diálogo e da inserção que o movimento estudantil combativo tenha entre os estudantes. O DCE pode cumprir um importante papel, aprofundando o processo de retomada da relação com a militância dos diversos cursos e servindo como articulador de nossas lutas conjuntas.

“Essa ciranda não é minha só, ela é de tod@s nós...”

Pro DCE seguir lutando, precisamos mais do que belas palavras. Precisamos da UNIDADE e da responsabilidade daqueles que compõe a atual gestão, mas, sobretudo, precisamos dialogar com o conjunto daqueles que estão nos CAs e DAs, em coletivos de curso, em projetos de extensão popular, em movimentos sociais. Enfim, outro movimento estudantil é possível se for construído por aquelas e aqueles que estão engajados na reflexão crítica e na prática cotidiana para a superação das contradições que atravessam a sociedade e, conseqüentemente, a UFPB. Estamos dispostos a construir um espaço amplo e horizontal para o debate sobre as eleições, onde o debate central reflita os reais problemas que o movimento estudantil enfrenta em nossa universidade. Queremos estar ao lado das lutadoras e lutadores do ME da UFPB. Vamos junt@s?


João Pessoa, 2 de maio de 2011


Movimento Levante - UFPB

sábado, 7 de maio de 2011

sexta-feira, 6 de maio de 2011

DIA DA CIDADANIA LGBT

I Encontro do Fórum LGBT da Paraíba



PROGRAMAÇÃO


Dia 07 de maio (sábado)


12h00: Credenciamento

12:30h . Almoço

14:00h: Mesa Redonda."Movimentos sociais: Lutas e Desafios"

Palestrante: Rosa Godoy - UFPB

Debatederes: Prof. Alder Júlio - Assembléia Popular

Avenzoar Arruda - SINTEENP

Arimatéia França - SINDELETRIC

Coordenador: Renan Palmeira – Vice-presidente do MEL

18:00h. Jantar



Dia 8 de maio (domingo)


9h30min. Planejamento

Grupos de Trabalho I: Organicidade e sustentabilidade

Facilitadora: Dulcivânia Elias – Grupo de Mulheres Lésbicas e Bissexuais Mª Quitéria

Grupos de Trabalho II - Estratégia Politica e atividade

Facilitadora: Fernanda Benvenutty – Diretora Regional da ABGLT

13:00h: Plenária - Apresentação dos resultados dos GTs 1 e 2.

Debate e aprovação das propostas

Facilitador: Rodrigo Firmino – Associação Homossexual de Campina Grande

18h00 – Jantar



Dia 9 de maio (segunda-feira)


Dia da Cidadania LGBT em João Pessoa. "Pela aprovação da PLC 122/2006. Já"

10h. Exibição do Filme MILK

Local: Teatro Cilaio Ribeiro (Centro Cultural do Terceiro Setor)

12h. Almoço

14h. Concentração no Ponto de Cem Réis: I Caminhada contra a homofobia em João Pessoa

15h – Saída até a Câmara Municipal de João Pessoa

16h. Audiência Pública CMJP, autoria: Frente Parlamentar da Cidadania LGBT da CMJP

Realização: Coordenação Executiva do Fórum LGBT da Paraíba

19h às 23h: Apresentação da cantora carioca performática Sílvia Machetti, Banda Brasis, Drag’s e DJ.



LOCAL: Centro Cultural do Terceiro Setor “João Balula”
Rua General Osório, s/nº Centro
(Vizinho ao prédio do 18 andar – antigo grupo escolar Thomaz Mindello)

 
 
LUCIANO B. VIEIRA


Presidente do MEL-Movimento dio Espiríto Lilás


Paraiba Brasil